Notícias Fecomercio

28 de maio de 2019

Franquia e negócio próprio: diferenças e desafios


Empreendedor deve fazer planejamento e estudar mercado em que pretende atuar

A escolha de um modelo de negócios não é tarefa fácil e é comum empreendedores terem dúvidas sobre a escolha de abrir uma franquia ou criar uma marca e negócio próprios. Não existe resposta única, pois os dois tipos têm vantagens e desvantagens. O mais importante na análise da assessoria econômica da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é que o empreendedor faça um planejamento e estude o mercado no qual pretende atuar, prevendo possíveis cenários.

A falta desse preparo e problemas na gestão empresarial explicam porque 23,4% dos pequenos negócios (MEI, ME, EPP) encerram as suas atividades até 2 anos da abertura, segundo dados do Sebrae. Mesmo com o alto índice de aberturas – em 2018 surgiram em média – 2,6 milhões de novas empresas no País – de acordo com levantamento da Boa Vista com base nos registros da Receita Federal, a taxa de mortalidade dos pequenos negócios é elevada.

É preciso ter claro em mente a motivação para empreender e o que se espera com a nova atividade. A decisão pelo empreendedorismo pode ser por “necessidade”, quando a atividade é uma alternativa para geração de ocupação e renda, ou por “oportunidade”, caso das pessoas que iniciam um novo negócio mesmo quando possuem alternativas de emprego.

O prazo de retorno de um investimento em nano ou micro franquia acaba sendo menor do que em uma empresa independente, uma vez que o suporte da franqueadora faz com que o negócio esteja maduro em um tempo menor. Nesses casos, o prazo de retorno do investimento pode variar entre 24 e 60 meses. A FecomercioSP recomenda que, assim como todo tipo de negócio, é preciso estudar a franquia que pretende adquirir e solicitar um estudo de viabilidade do franqueador.

Já no caso do empreendedor por oportunidade é indicado identificar uma necessidade de mercado para oferecer o seu produto ou serviço de forma diferenciada. Deve-se evitar negócios considerados da moda e sazonais, pois as vendas se concentram em determinados períodos. Confira a matéria completa aqui.

 

Voltar para Notícias

parceiros